Conselho Regional de Biologia da 7ª Região - Paraná

Compartilhar Edição

Lactec amplia know-how em diagnósticos socioambientais complexos

Sexta, 24 Abril 2020 18:01

Estudos sobre os danos causados na bacia do rio Doce e região costeira adjacente ficarão como legado para a comunidade científica nacional


>> A edição nº 43 da Revista BIOPARANÁ destaca a atuação do Biólogo Leonardo Pussieldi Bastos como coordenador do Diagnóstico Socioambiental da Força-Tarefa do Rio Doce. Confira aqui


Com atividades já bem consolidadas na prestação de serviços tecnológicos especializados para o licenciamento ambiental de empreendimentos do setor produtivo, a área de Meio Ambiente do Lactec passou a realizar diagnósticos socioambientais de maior complexidade. Um dos exemplos dessa vertente de atuação é o trabalho que vem sendo desenvolvido, há três anos, junto ao Ministério Público Federal (MPF) de Minas Gerais, para avaliação dos danos decorrentes do rompimento da barragem de rejeitos de minério, em Mariana (MG), ocorrido em novembro de 2015.

A abrangência e diversidade dos impactos desse desastre tornaram necessária a junção de habilidades de profissionais de diferentes áreas do conhecimento - como biólogos, geólogos, engenheiros florestais, civis, ambientais, químicos, oceanólogos, arqueólogos e, inclusive, economistas. Isso porque, além de identificar os impactos nos meios biológico, físico e antrópico, o trabalho envolve, também, a valoração econômica dos danos ambientais.

De acordo com o pesquisador do Lactec e coordenador do Diagnóstico Socioambiental da Força-Tarefa do Rio Doce, biólogo Leonardo Pussieldi Bastos, essa multidisciplinaridade possibilita uma visão sistêmica dos impactos em eventos dessa magnitude e, por consequência, mais efetividade no trabalho de levantamento dos danos para embasar a definição das medidas de recuperação das áreas afetadas.

Além de ser referência na prestação de serviços e em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) na área ambiental, o Lactec reúne um contingente de técnicos e especialistas de diversas áreas, o que acabou sendo um diferencial importante para a realização desse projeto. Outro aspecto que somou positivamente foi a infraestrutura laboratorial da empresa para as análises das amostras de solo, água, fauna, ictiofauna e flora coletadas em campo. Foi, inclusive, montado um novo laboratório, o de Ecotoxicologia e Ecofisiologia, e adquiridos novos equipamentos, como leitores de composição elementar de materiais, para suporte ao trabalho.

“Com essa estrutura, que alia profissionais experientes, de múltiplas competências, e laboratórios próprios equipados para os mais diferentes tipos de análises, conseguimos oferecer uma ampla gama de serviços na área ambiental. Isso inclui desde processos mais rotineiros, como monitoramentos da qualidade da água e do ar, por exemplo, até perícias mais complexas, que exigem maior grau de refinamento no trabalho de campo, nas análises e laudos técnicos”, reforçou a gerente da área de Meio Ambiente do Lactec, Rosana Gibertoni.

 

Legado técnico-científico

 

Por se tratar de um evento sem precedentes no histórico de desastres ambientais no país, o Diagnóstico Socioambiental da Bacia do Rio Doce e Região Costeira Adjacente tem sido desafiador para os pesquisadores do Lactec. Ao mesmo tempo, tem contribuído para a construção de conhecimento, que fortalece o know-how tecnológico da empresa para atuar na perícia ambiental e assessoria técnica, em eventos dessa natureza, e que ficará como um legado para a comunidade científica nacional.

O estudo envolveu, em um primeiro momento, a elaboração da chamada “linha-base”, que consiste na análise de como era a região antes do desastre em relação ao meio físico (geologia, geotecnia, solos, sedimentos e hidrologia superficial e subterrânea), ao meio biótico (fauna, ictiofauna e flora) e aos bens arqueológicos e culturais. Esse levantamento permitiu traçar um comparativo entre as condições ambientais pré e pós-desastre para uma mensuração adequada dos impactos e valoração dos danos.

Para o trabalho de Diagnóstico Socioambiental da Bacia do Rio Doce e Região Costeira Adjacente foram adotadas tecnologias mais avançadas, como imagens de satélite de alta resolução e modelos matemáticos para avaliar a extensão dos danos. O biólogo Leonardo Pussieldi Bastos explicou que foram, inclusive, pesquisados diagnósticos ambientais realizados em outros países. Um dos estudos que serviram de referência para os profissionais do Lactec foi o de avaliação dos danos ambientais provocados pelo vazamento de cerca de 5 milhões de barris de petróleo, após a explosão de uma plataforma, no Golfo do México, em 2010.

O principal aprendizado que se extraiu da metodologia aplicada nesse caso, segundo Bastos, foi a simplificação dos estudos, pois, a partir da identificação de parte dos danos passíveis de mensuração foi possível diagnosticar os danos globais àquele ambiente. “Se o estudo aponta que houve comprometimento da vegetação, por exemplo, e consequente perda de habitat, isso quer dizer que os danos são extensivos, também, à fauna local, que perdeu abrigo e fonte de alimentação”, esclareceu o biólogo.

Toda a experiência acumulada e as metodologias criadas ao longo do desenvolvimento desse trabalho vêm sendo incorporadas pelo Lactec na realização de outros serviços de assessoria técnica e de perícias ambientais em outros segmentos, além da mineração. A empresa dispõe de equipes multidisciplinares capacitadas para propor e aplicar métodos adequados a cada caso.

 

Segurança de barragens

 

Os desastres envolvendo mineradoras (o mais recente ocorrido em Brumadinho (MG), em janeiro de 2019) reacenderam a preocupação dos órgãos reguladores quanto à segurança de barragens, não só na mineração, mas em todos os segmentos que se utilizam desse tipo de estrutura, como o setor elétrico, por exemplo. Aumentou-se o rigor na regulamentação para o licenciamento das atividades, bem como a fiscalização, visando um monitoramento mais efetivo da segurança de barragens.

Desde então, o Lactec vem ampliando sua atuação na elaboração de Planos de Segurança de Barragens (PSBs) e Planos de Ações Emergenciais (PAEs), associando sua vasta experiência na prestação de serviços tecnológicos e em projetos de P&D junto a usinas hidrelétricas. A empresa reúne em seu portfólio uma extensa lista de serviços nas áreas de geossoluções, geotecnia, hidrologia, hidrodinâmica e estruturas civis, que abrangem todos os aspectos técnicos a serem considerados na construção desses documentos.