Conselho Regional de Biologia da 7ª Região - Paraná

Compartilhar Edição

Debate na UniCesumar sobre Educação Ambiental no século XXI contou com participação de Conselheira do CRBio-07

Segunda, 18 Novembro 2019 15:58


A educação ambiental no século XXI deve romper um grande desafio que é conduzir as pessoas à serem guardiãs de sua própria qualidade de vida, pautadas em uma visão holística do ambiente, para se adotar a sustentabilidade, de forma que o espírito de cidadania às conduza à uma participação coletiva na busca de soluções integradas para as questões ambientais, sociais, econômicas, culturais, éticas e estéticas.

Esta foi uma das afirmações feitas durante a palestra “Desafios da Educação Ambiental no Séc. XXI”, realizada no dia 7 de novembro na UniCesumar, campus Maringá, proferida pela Bióloga Lídia Maróstica (CRBio 08.073/07-D), Conselheira do CRBio-07.

O século XXI é considerado o "século das cidades", devido à grande concentração de pessoas vivendo em áreas urbanas. A cidade é considerada o habitat da espécie humana, e o processo urbano possui uma forte ligação com problemas ambientais:
poluição, conflitos diversos, contrastes sociais, entre outros.

Para a Bióloga, a educação ambiental deve ser o caminho para promover uma sensibilização, seja de maneira formal ou informal. Para tanto, deve usar como estratégia básica a conscientização e o entendimento de si mesmo como elemento do todo, visando a interação do homem com o seu entorno, e preocupado com boas condições para o seu habitat (água potável, ar puro/limpo, solo saudável para produção de alimentos).

Essa reflexão é necessária para provocar o debate na busca de soluções integradas com, as partes: técnica, política e a necessária participação da sociedade, porém de uma forma organizada e com domínio do conhecimento para que esta conscientização seja preocupada com a preservação da saúde humana e o equilíbrio dos ecossistemas. “Não dá para discutir educação ambiental sem saber discutir valores éticos, para assegurar o controle de nosso habitat cobrando direitos, mas conscientes de seus deveres, conforme o artigo 225 da Constituição Federal”, enfatizou Lídia.

Outro ponto destacado foi a necessidade de promover o conhecimento para executar ações de forma planejada, observando os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e as 169 metas propostas pela ONU para se alcançar o Desenvolvimento Sustentável em todos os âmbitos e viabilizar a construção de uma sociedade sustentável.